> ‘Sutiã interno’ é a novidade para mulheres com seios grandes

> Tartaruga tem patas amputadas, mas volta a nadar com barbatanas artificiais

> Cientistas descobrem que a mentira tem origem hormonal

> Médico descobre relação entre sono interrompido e disseminação do câncer

> Pesquisa mostra que estudo da caligrafia pode diagnosticar Parkinson

> Em Israel, avanços tecnológicos se misturam à medicina para salvar vidas usando hologramas 3D

> Toupeiras cegas podem ajudar a combater o câncer

> Dilatação pré-parto poderá ser monitorada pelo celular

> Maior usina de biogás de Israel produzirá energia usando o esterco de gado

> Dispositivo identifica câncer no pulmão a partir da respiração

> Estudo descobre o "cheiro" da cor branca

> Nova arma contra câncer de próstata e de pâncreas

>
Cineasta israelense acredita ter encontrado sepulturas de discípulos de Jesus


> Microgerador produz eletricidade e monitora água

>
Dispositivo protege células saudáveis contra radioterapia

>
Nova esperança para pacientes de diabetes

>
Aplicativo no celular para monitorar estresse

>
Pesquisadores desenvolvem um cérebro artificial

>
Anvisa certifica medicamento contra doença de Gaucher

>
Canela para combater o Alzheimer

>
Israelenses desenvolvem uma retina biônica para deficientes visuais

>
Dieta rica em azeite, peixes, iogurte, frutas e legumes combate câncer de pele

>
Nova nanopartícula pode ajudar a diagnosticar diabetes e a captar energia solar

>
Esquizofrenia pode ser evitada

> Colágeno pode ser obtido a partir do tabaco

>
Instrumento eletrônico israelense permite diagnosticar doenças em 20 minutos

> Associação de proteínas leva à regressão de tumores

> Móveis ecológicos de papelão

> Empresa israelense testa vacina contra os vírus da gripe

>
Aparelho para detectar gripe suína

>
Israelenses podem ter descoberto a cura da surdez

> Dispositivo permitem que árvores "avisem" quando estão sem água

> Terapia contra a Bubble Boy

> Cooperação israelense/palestina contra a esquistossomose

> Exame de DNA contra doenças bovinas

> Homem já criava fogo 500 mil anos antes do que se acreditava

> Biodiesel a partir de óleo de rícino

> Tratamento de esgotos pode gerar eletricidade

> Onda Elétrica

> Invenção israelense tira paraplégicos da cadeira de rodas

> Conservante natural para cosméticos contra o câncer e problemas de pele

> Sistema solar gêmeo

> EXPOSIÇÃO NOTURNA À LUZ PODE AUMENTAR RISCO DE CÂNCER DE MAMA

> Cientista druso-israelense desenvolve um revolucionário inseticida natural

> Nova esperança de filhos para vítimas de câncer

>
Mais perfume para as flores

>
Alimentos “Diet” com mais Nutrientes

>
Tratamento de Feridas Crônicas

> A solução para os diabéticos em uma xícara de chá

> Um país que se preocupa com o alto padrão em serviços de saúde

> Água-viva que pode ser aplicada sob a pele substitui a dor e o desconforto das injeções

>
Tratamento israelense usa clorofila e luz para combater o câncer de próstata


>
A pesquisa médica

____________________________________________

 

 

‘Sutiã interno’ é a novidade para mulheres com seios grandes
____________________________________________________


Um cirurgião plástico israelense inventou um ‘sutiã interno’ que permite a mulheres com seios volumosos enfrentar a lei da gravidade. Trata-se do Orbix, da empresa Orbix Medical, desenvolvido pelo dr. Eyal Gur, chefe de cirurgia plástica do Tel Aviv Sourasky Medical Center. O Orbix é um dispositivo afixado nos ossos da costela debaixo dos seios.

Sabendo que só um osso poderia ancorar adequadamente esse dispositivo, o dr. Gur trabalhou com o engenheiro Adi Shfaram para projetar um ‘chicote’ interno conectado com micro-parafusos de titânio nas costelas. “Levamos muito tempo para ver que o dispositivo era seguro, que poderia suportar a força gravitacional sobre os seios e que não criava lesões nos tecidos”, diz Gur.

O produto está em fase final de testes e já ganhou a marca CE e deve entrar no mercado europeu ainda este ano. Enquanto isso, a Orbix está finalizando uma bateria de testes avançados.

 

 

Tartaruga tem patas amputadas, mas volta a nadar com barbatanas artificiais
____________________________________________________


Após ser resgatada no Mar Mediterrâneo pela equipe israelense Sea Turtle Rescue Center, uma tartaruga marítima hemiplégica teve as patas dianteiras amputadas, mas recebeu um par de nadadeiras artificiais feitas por um estudante de design industrial que lhe permitiu nadar normalmente e até encontrar um par.

Quando a tartaruga, que depois foi chamada Hofesh (‘Liberdade’, em hebraico), foi encontrada, seu futuro parecia sombrio. A equipe de resgate não teve outra opção senão amputar as duas patas, deixando-a incapaz de nadar ou até mesmo de manter a cabeça acima da linha d’água.

Depois a equipe trouxe o bicho para um centro de reabilitação animal em Michmoret, uma comunidade costeira ao norte de Netanya (Israel), que se dedica a cuidar de tartarugas. Lá, o estudante de design industrial Shlomi Gez, um amante de animais, de 30 anos, que tinha lido sobre Hofesh na internet, adaptou uma barbatana para peixes que ele tinha desenvolvido feita de polipropileno, um plástico durável mas flexível e resistente à água.

‘A nadadeira permite que o peixe mantenha o equilíbrio; então eu decidi adaptar a ideia para a tartaruga’, diz Gez. Ele aperfeiçoou a invenção e a versão final é baseada em um caça de 5ª geração da Lockheed Martin, o F22 Raptor. ‘Estou usando duas pequenas nadadeiras colocadas no mesmo ângulo que os dois winglets traseiros da aeronave’, explica.

Como a tartaruga Hofesh faz parte de uma espécie ameaçada de extinção, os pesquisadores encontraram-lhe um par, uma tartaruga que ficou cega em razão de um acidente com um barco.

 

Cientistas descobrem que a mentira tem origem hormonal
____________________________________________________

Cientistas israelenses descobriram que a tendência a mentir não é uma questão de moralidade ou educação, mas um dado hormonal. Segundo pesquisadores, a mentira envolve um hormônio chamado ocitocina. A pesquisa foi feita pelos drs. Shaul Shalvi, da Universidade Ben Gurion, do Negev (Israel), e Carsten K. W. De Dreu, da Universidade de Amsterdã (Holanda).

O teste foi desenvolvido para uma empresa farmacêutica. Pessoas a quem foram aspergidas oxitocina em spray tenderam a mentir para beneficiar seu grupo mais do que aqueles que receberam placebos. Os pesquisadores também descobriram que aqueles expostos a este hormônio não mentiam em benefício próprio, mas apenas para proteger o grupo. Os cientistas acreditam que os resultados podem justificar uma abordagem ‘funcional’ da moralidade.

Segundo os pesquisadores, a ocitocina libera uma onda de bonomia. Biologicamente, diz-se que a pessoa usa dois ‘chapéus’, ambos com funções regulatórias. Um é o hormônio, uma molécula regulatória que provoca reações corporais, e também um neurotransmissor, que facilita a comunicação entre células nervosas.

 

Médico descobre relação entre sono interrompido e disseminação do câncer
____________________________________________________

Um pediatra árabe-israelense descobriu uma correlação entre o sono interrompido e a disseminação de tumores cancerígenos, o que poderá abrir um novo caminho na fabricação de medicação contra o câncer. A pesquisa foi feita durante dois anos pelo o dr. Fahed Hakim, 40 anos, do Rambam Medical Center, em Haifa, no hospital infantil da Universidade de Chicago.

A conexão entre problemas de saúde e o sono fragmentado já era conhecida, diz Hakim. Por exemplo, crianças que não dormem o tempo necessário para a idade apresentam dificuldades de cognição e memória e desenvolvem uma grande tendência para o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH).

“Sabíamos por estudos epidemiológicos que as pessoas cujo Ritmo Cirdaniano é interrompido – como os trabalhadores noturnos – apresentam maior incidência de câncer”, diz Hakim. “Também sabíamos que os que sofrem de apneia do sono, os que roncam e acordam dezenas de vezes à noite têm maior tendência ao câncer. Em outras palavras, quanto mais as pessoas são hipóxicas – com menos nível de oxigênio – mais elas terão predisposição a tumores. Então decidimos perguntar como isso acontece e porquê.

Hakim testou dois grupos de ratos, deixando um dormir normalmente e outro sendo repetidamente acordado. Células cancerosas foram injetadas nos dois grupos; no segundo os tumores se espalharam mais rapidamente. Isso porque eles desenvolveram mais macrófagos do tipo M2, que são as células que ajudam os invasores do corpo, como os tumores.

 

Pesquisa mostra que estudo da caligrafia pode diagnosticar Parkinson
____________________________________________________


Um novo estudo realizado em Israel mostra que o estudo da caligrafia pode ajudar no diagnóstico precoce do Mal de Parkinson, doença progressiva causada pela morte de células nervosas nas áreas de controle do movimento muscular. Os pesquisadores da Universidade de Haifa e do Rambam Medical Center, também em Haifa, dizem que identificar as mudanças na caligrafia pode levar a um diagnóstico precoce da doença e “a uma intervenção neurológica em um momento crítico”.

Segundo a profª Sara Rosemblum, do Departamento de Terapia Ocupacional da Universidade, foram comparadas amostras de caligrafias de 40 pessoas, metade delas com a doença em estágio inicial e metade saudável. Houve diferenças significativas nos resultados dos dois grupos, como comprimento, largura e altura das letras, tempo necessário para escrever e pressão exercida sobre a superfície do papel. Pacientes com o Mal de Parkinson escreveram letras menores, com menos pressão na superfície da escrita e levaram mais tempo para completar a tarefa.

A diferença mais marcante foi o período de tempo que esses pacientes deixam a caneta no ar, entre o ato de escrever cada letra e cada palavra. “Enquanto o paciente segura a caneta no ar, sua mente está planejando a próxima ação no processo de escrita. E a necessidade de mais tempo reflete a menor capacidade cognitiva da pessoa. Mudanças na escrita podem acontecer antes do diagnóstico clínico e isso pode ser um sinal precoce da doença”, diz a profª Sara.

Validar esses resultados com um estudo mais amplo pode pavimentar o caminho para esse método ser utilizado para um diagnóstico preliminar de uma forma segura e não-invasiva.

 

 

Em Israel, avanços tecnológicos se misturam à medicina para salvar vidas usando hologramas 3D
____________________________________________________


A Real View Imagem está trazendo à realidade hologramas 3D que os médicos podem usar para salvar vidas. Fundador e CEO da empresa, Aviad Kaufman explica: “nosso sistema holográfico permite que os médicos trabalhem com a anatomia real em três dimensões do paciente mostrando hologramas volumétricos precisos que flutuam no ar”.

A holografia foi inventada pelo cientista judeu Dennis Gabor, ganhador do Prêmio Nobel de Física. Agora, a Real View Imagem conseguiu desenvolver um sistema projetando hologramas reais.

Durante um ensaio clínico realizado em colaboração com o Schneider Children Medical Center, de Israel, foi utilizada a angiografia 3D para ajudar a reparar o coração de uma menina de 16 anos, quando foi possível trabalhar efetivamente com hologramas ao vivo e explorar as vantagens únicas de um verdadeiro ambiente 3D.

 

 

Toupeiras cegas podem ajudar a combater o câncer
____________________________________________________


Um estudo israelense revelou que toupeiras cegas que vivem em tocas subterrâneas, conhecidas como Spalax, podem substituir os camundongos de laboratório em testes para desvendar o segredo do câncer humano. Segundo o estudo conduzido pelo professor Aaron Avivi, da Universidade de Haifa, esses roedores silvestres são extremamente resistentes ao câncer e vivem dez vezes mais que camundongos de laboratório. A notável longevidade desse mamífero e a ausência de doenças relacionadas à idade também estão sendo pesquisadas pelos cientistas.

Experiências anteriores em Haifa mostraram que, durante vários anos, nenhuma das milhares de toupeiras cegas que estavam no laboratório desenvolveram tumores espontaneamente. Os pesquisadores acreditam que essa habilidade está ligada à capacidade delas de sobreviver a abruptas mudanças no fornecimento de oxigênio. Sabe-se que a hipoxia, ausência de oxigênio, provoca tumores, e doenças no coração e pulmão.

 

 

Dilatação pré-parto poderá ser monitorada pelo celular
____________________________________________________


Uma invenção desenvolvida em Israel permite que mulheres às vésperas do parto possam monitorar sozinhas a abertura do colo do útero para saber o momento certo de se deslocar ao hospital para dar à luz, sem ter de passar por inúmeros exames manuais realizados geralmente por ginecologistas. O dispositivo foi desenvolvido pela engenheira médica Maayan Pokshivka como projeto de finalização de seu curso na Faculdade Afeka, em Tel Aviv.

Trata-se de um sensor, do tamanho de uma moeda de 1 dólar, que é instalado no colo do útero e transmite informações pela tecnologia Bluetooth a um aparelho receptor - que pode, por exemplo, estar em uma pulseira no braço da mulher, em seu telefone celular, ou no próprio hospital.

"O que espanta é o fato de que, atualmente, com tantas novas tecnologias sendo usadas na área médica, mulheres ainda são sujeitas a exames manuais para monitorar a abertura do colo do útero, principalmente em um momento tão crucial na vida dela, quando estão prestes a trazer uma nova vida ao mundo", afirma Pokshivka. "Com o sensor que desenvolvemos a medição será exata e a mulher poderá saber quando é o momento certo para se deslocar a um hospital, ela própria poderá acompanhar a abertura do colo do útero", explica.

Para Yael Danay Menuhin, diretora de projetos no departamento de Engenharia Médica da Faculdade, a invenção "irá poupar muito incômodo para as mulheres e muito trabalho, tempo e dinheiro para os hospitais. Com o dispositivo, as mulheres não terão que passar por inúmeros exames incômodos e os médicos não terão que perder tempo com esse monitoramento. Eles receberão as pacientes praticamente prontas para o parto", elogia.

O novo aparelho deverá ser comercializado dentro de um ano.


 

 

Maior usina de biogás de Israel produzirá energia usando o esterco de gado
____________________________________________________


Assim que entrar em plena operação, em alguns meses, a recém-inaugurada usina de biogás Be'er Tuviya, de Israel, reaproveitará os dejetos de 14 mil vacas, além de quase 15% dos dejetos de todas as fazendas de frango e laticínios do país. Todo o esterco será utilizado para gerar eletricidade, por meio de gás metano, para milhares de lares.

De propriedade da Eco Energy, a usina de Be'er Tuviya é a maior usina de biogás de Israel e está avaliada em $2,6 milhões. Inaugurada na última segunda-feira (4/3), a unidade terá capacidade para atender até seis mil lares, aliviando a congestionada rede elétrica israelense.

De acordo com a Câmara Regional de Be'er Tuviya, a unidade de biogás é de fundamental importância na preservação ambiental, pois vai evitar que os dejetos de gado e aves sejam despejados em rios, causando poluição, mau odor e atraindo moscas.

O esterco será coletado nas fazendas em todo o país e transportado em contêineres fechados. Depois de entregue na usina Be'er Tuviya, ele será pasteurizado e armazenado em tanques de concreto vedados para produzir gás metano. Dessa forma, será possível gerar eletricidade. Tudo o que sobrar poderá ser utilizado ainda como fertilizante.

 

 

Dispositivo identifica câncer no pulmão a partir da respiração
____________________________________________________


Um dispositivo inventado por pesquisadores israelenses que é capaz de detectar câncer de pulmão a partir do ar expirado pelo paciente está prestes a ser comercializado. O mecanismo, denominado "nano-nariz" por seu inventor, o prof. Hossam Haick, já foi testado em várias experiências e vai chegar ao mercado por meio de uma joint venture entre o Technion-Israel Institute of Technology e o laboratório Alpha Szenszor, um laboratório baseado em Boston que é fabricante de equipamentos nanotecnológicos.

O dispositivo analisa os mais de mil gases diferentes que estão contidos na respiração e identifica aqueles que podem indicar o problema. Ele funciona ligando gases a nano-materiais específicicos, uma técnica conhecida como composto orgânico volátil de detecção. A precisão é de 95%.

 

Estudo descobre o "cheiro" da cor branca
____________________________________________________


Você pode ver a "cor branca". Você pode ouvir o "ruído branco". Agora, pesquisadores do Instituto Weizmann, em Israel, demonstraram que você também pode sentir um "odor branco".

O branco que vemos é uma mistura de ondas de luz, de diferentes comprimentos de onda. De uma maneira semelhante, o zumbido que chamamos de "ruído branco" é feito de uma combinação de frequências sonoras variadas.

Para ser percebido como "branco", um estímulo deve cumprir duas condições: a mistura que os produz deve alcançar a abrangência da nossa percepção e cada componente deve estar presente na mesma intensidade.

Poderiam estas duas condições serem encontradas no caso dos odores, de forma a produzir um "cheiro branco"?

Uma equipe do Departamento de Neurobiologia, liderada pela estudante Tali Weiss e pelo Dr. Kobi Snitz, ambos do grupo de Professor Noam Sobel, decidiu aceitar o desafio.

Começaram com 86 diferentes aromas puros (cada com um único tipo de molécula de odor), abrangendo todo o "mapa cheiro", e os diluíram para que se obtivessem intensidades semelhantes e, depois, criaram misturas.

Cada mistura continha uma mistura diferente dos odores, provenientes de várias partes do mapa do cheiro. Essas misturas foram então apresentadas, em pares, a voluntários, que foram convidados a comparar os dois "cheiros-misturas".

A equipe descobriu que quanto mais os odores fossem misturados em conjunto, mais os indivíduos tendiam a avaliá-los como semelhantes - embora os dois não compartilhassem de componentes comuns.

Misturas que contivessem 30 odores diferentes ou mais foram interpretados como sendo quase idênticas. Os pesquisadores, então, criaram uma série de misturas de odores, dando-lhes um nome absurdo: Laurax.

Uma vez que os indivíduos fossem expostos a uma das misturas Laurax e ficassem acostumados com o cheiro, eles seriam expostos a novas misturas - misturas que não tivessem cheirado anteriormente.

Eles também chamaram essas novas misturas "Laurax", mas somente se nelas estivessem contidas 30 ou mais odores e na faixa de cheiros possíveis.

Em contraste, as misturas feitas de 20 ou menos aromas não foram chamadas como Laurax. Em outras palavras, Laurax era um "cheiro branco".

"Por um lado", diz Sobel, "As descobertas expandiram o conceito de 'branco' para além da percepção familiar de visão e som. Por outro lado, elas tocam nos princípios mais básicos do nosso sentido de cheiro, e estes levantam algumas questões sobre a sabedoria convencional sobre o assunto".

"A visão mais aceita, por exemplo, descreve o sentido do olfato como uma espécie de máquina que detecta as moléculas de odor. Mas o estudo Weizmann implica que os nossos sistemas de cheiro percebem aromas inteiros, em vez dos odores individuais que os compõem".

 

Nova arma contra câncer de próstata e de pâncreas
____________________________________________________


Uma empresa farmacêutica israelense está testando um composto avançado que bloqueia o fornecimento de sangue a células cancerígenas em tumores da próstata e do pâncreas – este último, um tipo de tumor notoriamente resistente.

O composto, chamado TL-118, está sendo testado pela Titan Israel Pharma e foi desenvolvido pela Universidade Hebraica de Jerusalém. Testes revelaram que o TL-118 se mostrou eficaz para combater tumores de pâncreas em camundongos e depois em cerca de 100 voluntários.

O diretor clínico Dan Goldstaub explica que a empresa utiliza uma nova abordagem sobre o crescimento dos tumores. Por meio de um processo anormal chamado angiogênese, os tumores “recrutam” vasos sanguíneos de tecidos vizinhos. A terapia anti-angiogênese destina-se a quebrar esse processo por meio da interrupção do fornecimento de sangue.

“Teoricamente, podemos tratar todos os tumores sólidos dessa maneira”, diz Goldstaub. “No entanto, alguns tumores são mais suscetíveis à inibição da angiogênese e cada tumor usa diferentes mecanismos de angiogênese”.

Vários desenvolvedores de outras drogas desenvolveram agentes anti-angiogênse. Mas a abordagem da Titan é mais agressiva. “Nosso produto inibe quatro vias diferentes; então, mesmo que consigamos inibição leve em cada via, o efeito cumulativo é mais amplo”, diz Goldstaub.

 

Cineasta israelense acredita ter encontrado sepulturas de discípulos de Jesus
____________________________________________________


O cineasta israelense Simcha Jacobovici, vencedor do Emmy e conhecido pelo documentário de TV The Naked Archaelogist, acredita ter encontrado o local onde alguns dos discípulos de Jesus teriam sido enterrados em Jerusalém. Sob um edifício no bairro de Hanatziv Armon, uma câmera com um braço robótico encontrou uma caverna que serviu para sepultamento com inscrições da época do Segundo Templo (séc. I aC-70DC).

Jacobovici está explorando a caverna para fazer um documentário apoiado pelo Discovery Channel. O diretor espera que suas pesquisas confirmem sua teoria de que o próprio Jesus teria sido enterrado nas proximidades daquela caverna. Jacobici disse que tal teoria foi apoiada nos nomes encontrados nos ossários e em recipientes para ossos da gruta.

As descobertas poderão ter implicações revolucionárias para a compreensão do cristianismo primitivo e de Jesus como figura histórica.

 

 

Microgerador produz eletricidade e monitora água
____________________________________________________


Uma empresa israelense desenvolveu um microgerador que produz energia elétrica a partir do fluxo de água dentro dos tubos de distribuição. A empresa HydroSpin, localizada no kibbutz Lavi (norte de Israel), está capacitada para operar e fazer a medição de dados da água (pressão, taxa de pH, salinidade, vazamentos) em tempo real. O sistema é denominado “smart water network” (SWAN, rede inteligente de água).

“Nosso sistema gera entre 1 e 5 watts de eletricidade” diz Gabby Czertok, CEO da Hydrospin. “Isso é suficiente para abastecer uma rede e enviar os dados a cada cinco minutos, em vez de uma vez por dia, como em outros sistemas de monitoramento de água”, completa.

 

 

Dispositivo protege células saudáveis contra radioterapia
____________________________________________________


Pesquisadores israelenses desenvolveram um balão biodegradável que separa as células cancerosas dos tecidos saudáveis, reduzindo assim os efeitos colaterais da radioterapia para tratamento de câncer de próstata.

O dispositivo, denominado Bioprotect, é uma solução inédita; o balão ProSpace evita que a radiação atinja os tecidos saudáveis ao redor do tumor. O principal problema da radioterapia é que ela ataca tanto as células cancerosas quanto as saudáveis. No caso do câncer de próstata, os efeitos colaterais são diarréia, dor, perfuração e sangramento grave, entre outros.

“É uma questão de qualidade de vida”, diz o CEO da Bioprotect, Amir Shiner. Construído com polímeros biodegradáveis, o balão ProSpace é implantado no paciente com um procedimento simples e minimamente invasivo, dissolvendo-se no organismo num prazo de três meses.

 

 

Nova esperança para pacientes de diabetes
____________________________________________________


Pesquisadores da Universidade Hebraica de Jerusalém identificaram a chave das células beta, produtoras de insulina e que são geradas no pâncreas. O descobrimento representa um avanço que deverá ajudar a encontrar maneiras de restaurar e melhorar o funcionamento dessas células em pessoas que sofrem de diabetes tipo I.

O projeto, dirigido pelo professor Yuval Dor, do Instituto de Investigação Médica Israel-Canadá da Universidade Hebraica de Jerusalém, teve a participação de pesquisadores do Centro Médico Hadassah em cooperação com grupos de várias universidades americanas.

“Nosso trabalho demonstra que à medida que o nível de glicose aumenta no sangue, as células beta se regeneram”, diz Yuval Dor. “Não é a glicose no sangue a chave por si mesma, mas a capacidade de detecção da glicose das células beta para regeneração”, completa. Esta foi a primeira vez que se demonstrou que um alto nível de glicose é o fator desencadeante que induz as células beta para que se regenerem.

Nas pessoas que sofrem de diabetes tipo I o sistema imunológico faz um ataque equivocado às células beta, resultando na diminuição da produção de insulina. A descoberta abre caminho para desenvolver um novo tipo de droga que permita aumentar o número de células beta.

 

 

Aplicativo no celular para monitorar estresse
____________________________________________________


Uma pesquisadora israelense está desenvolvendo um aplicativo para smartphones para monitorar a saúde mental por meio da medição de níveis de estresse na fala. A responsável é a professora associada de ciência e computação Tanzeem Choudhury, que tem o apoio do recém-criado Intel Science and Technology Centre (ITSC) for Pervasive Computing, uma colaboração entre a Universidade de Cornell e outras, dirigida pela Universidade de Washington.

Os projetos do Pervasive Computing ITCS incluem “casas inteligentes” que monitoram a atividade da família e ajudam na cozinha, além de terem aplicativos para monitoramento de saúde mental.

“O acompanhamento da saúde mental é amplo campo a ser explorado”, diz Choudhury. Ela propõe utilizar o microfone do telefone para monitorar os níveis de estresse na fala. Saber onde e quando ocorrem eventos estressantes pode levar a conselhos sobre como evitá-los.

 

Pesquisadores desenvolvem um cérebro artificial
____________________________________________________


Pesquisadores da Universidade de Tel Aviv estão desenvolvendo um cérebro artificial, denominado RoboRat. Trata-se de um chip que imita a coordenação do cerebelo para os movimentos do corpo. A equipe do prof. Matti Mintz implantou um chip com segmentos de cerebelo artificial no crânio de um roedor com cerebelo danificado, permitindo com isso que o rato desenvolvesse atividades normais.

O cerebelo é o responsável por coordenar e cronometrar todos os movimentos do corpo. A equipe do prof. Mintz queria saber se o cerebelo sintético poderia receber e interpretar informação sensorial a partir do tronco cerebral, analisá-la como um cerebelo normal é capaz de fazê-lo, e transmitir essa informação de volta ao centro do tronco cerebral.

Para testar essa interface robótica entre o corpo e o cérebro, os pesquisadores ensinaram um rato de laboratório a piscar sempre que ele ouvisse um determinado som. Depois de danificar seu cerebelo, constataram que o rato não tinha mais a resposta condicionada. Instalado o chip em seu cérebro, o roedor voltou a piscar ao ouvir o som.

Embora as pesquisas ainda estejam em fase inicial, os pesquisadores acreditam que no futuro será possível substituir tecidos danificados do cérebro humano por implantes sintéticos. Isso seria um grande avanço para pessoas que sofrem danos cerebrais devidos a AVCs, por exemplo.

 

 

Anvisa certifica medicamento contra doença de Gaucher
____________________________________________
________


O medicamento Protalix, contra a doença de Gaucher, fabricado pela Protalix Biotherapeutics Inc., em Carmiel (Israel), recebeu da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a certificação de boas práticas de fabricação. Trata-se do primeiro passo para que esse medicamento possa ser importado pelo Brasil.

O Protalix também já foi certificado pela FDA (Food and Drug Administration, agência reguladora de medicamentos dos EUA) e pelo Ministério da Saúde de Israel. O presidente e CEO da Protalix Biotherapeutics Inc., dr. David Aviezer, disse que a certificação do medicamento pela Anvisa é um marco importante. “É uma conquista que nos ajuda a demonstrar a viabilidade, a qualidade e o potencial comercial de nosso produto”.

 

 

Canela para combater o Alzheimer
____________________________________________
________


O extrato de canela é uma arma poderosa contra o mal de Alzheimer, de acordo com pesquisas recentes realizadas na Universidade de Tel Aviv (UTA - Israel). Uma equipe de cientistas liderada pelo prof. Michel Ovadia, da Faculdade de Ciências da Vida da UTA, isolou uma substância a partir da planta da canela, que já demonstrou inibir o desenvolvimento do Alzheimer em ratos de laboratório.

A substância, denominada CEppt, reduziu o progresso da doença em ratos que cresceram com mutações genéticas que causam um avanço agressivo do Alzheimer. Os testes agora serão realizados em outros animais.

 

Israelenses desenvolvem uma retina biônica para deficientes visuais
____________________________________________
________


Por meio da nanotecnologia, a empresa israelense Nano Retina está desenvolvendo uma retina biônica para deficientes visuais. A empresa, que funciona há dois anos e está localizada em Herzliya, está fabricando um protótipo do dispositivo.

A tecnologia consiste em colocar eletrodos com neurônios vivos nos olhos do paciente. Embora essa tecnologia não seja inédita, o dispositivo da Nano Retina representa um avanço em relação às tecnologias existentes no mercado, na medida em que permite uma melhoria na visão de dez vezes, segundo o diretor-gerente da empresa, Ra'anan Gefen.

Inserida na retina por meio de um procedimento de 30 minutos, o dispositivo de implante, aproximadamente do tamanho de um grão de arroz, se transforma em uma retina artificial que mescla os neurônios no olho. Ele é ativado pelo usuário por meio de óculos especiais, transformando a luz natural em um impulso elétrico que estimula os neurônios a enviar imagens para o cérebro.

 

 

Dieta rica em azeite, peixes, iogurte, frutas e legumes combate câncer de pele
____________________________________________
________


Um estudo israelense mostrou que o segredo para a proteção contra os raios solares ultravioletas pode estar principalmente no que se come. Segundo a pesquisa conduzida pela dra. Niva Shapira, da Universidade de Tel Aviv, uma dieta como a Mediterrânea, à base de azeite, peixe, iogurte, frutas e legumes coloridos, contém antioxidantes e ácidos graxos ômega-3 que ajudam a lutar contra os efeitos oxidantes do sol. Isso evita, entre outras coisas, que a pessoa contraia melanoma e outros tipos de câncer de pele.

Os raios ultravioleta do sol danificam a pele por meio da excitação de suas moléculas, levando-as à oxidação. “Minha teoria é que quando se prepara o corpo com antioxidantes suficientes e relevantes, os danos podem ser reduzidos”, diz a dra. Niva. Para testar sua teoria, ela e o prof. Bodo Kuklinski, da Universidade de Rostock, na Alemanha, organizaram dois grupos; a um deles foi fornecida uma bebida rica em antioxidantes, enquanto que o outro tomou bebidas como refrigerantes. Ao fim de duas semanas, que incluíam cinco a seis horas de exposição diária ao sol, aqueles que foram hidratados com a bebida rica em antioxidantes tinham 50% menos de produtos oxidantes no sangue. 

Estudos posteriores mostraram que estes antioxidantes, especialmente os carotenóides (pigmentos de frutas e vegetais como o vermelho dos tomates e melancias e laranja das cenouras e abóboras, que acumulam na pele, onde eles servem como uma primeira linha de proteção), atrasam o fenômeno do eritema cutâneo, indicativo do início de danos nos tecidos e no DNA que podem levar ao câncer de pele.

 

 

Nova nanopartícula pode ajudar a diagnosticar diabetes e a captar energia solar
____________________________________________
________


Pesquisadores israelenses da Universidade Hebraica de Jerusalém descobriram um novo tipo de nanopartícula, no formato de uma estrela de David, que pode abrir novos caminhos tanto para ajudar na detecção da glicose no diagnóstico da diabetes quanto para prover um catalisador capaz de captar a energia solar e transformá-la em combustível limpo.

A pesquisa contribui enormemente para a compreensão de como se formam as nanopartículas híbridas, que combinam dois ou mais materiais diferentes nas mesmas partículas e possibilitam que elas tenham múltiplas funções. As nanopartículas em formato de estrela de David têm um diâmetro dez mil vezes menor que um fio de cabelo e foram descobertas pela equipe de Uri Banin, diretor do Centro Harvey M. Kruger Family para Nanociência e Nanotecnologia da Universidade Hebraica de Jerusalém.

 

 

Esquizofrenia pode ser evitada
____________________________________________
________


Pesquisadores israelenses descobriram que a esquizofrenia pode ser evitada se for detectada e tratada antes de se manifestar plenamente. O estudo, da Universidade de Tel Aviv (UTA), mostrou que a intervenção precoce pode prevenir o desencadeamento das desordens que alteram a mente das pessoas afetadas. A professora Ina Weiner, do Departamento de Psicologia da UTA, diz que algumas drogas como a clozapina, que são usadas para o tratamento de esquizofrenia, podem ser administradas durante a adolescência para impedir o desenvolvimento da doença em indivíduos predispostos a ela. “Os tratamentos farmacológicos para a esquizofrenia continuam insatisfatórios; então, clínicos e pesquisadores, como eu, começaram a olhar em outra direção”, diz ela. Os resultados trazem grandes esperanças.

A esquizofrenia afeta cerca de 3 milhões de pessoas apenas nos Estados Unidos e sua manifestação é difícil de prever. Apesar de estar associada a um máximo de 14 genes no genoma humano, a presença da esquizofrenia numa família não é suficiente para determinar quem irá desenvolvê-la. A doença também tem um condicionamento ambiental significativo.

 

 

Colágeno pode ser obtido a partir do tabaco
____________________________________________
________


Uma pesquisa recente da Universidade Hebraica de Jerusalém (UHJ) indica que é possível se obter colágeno a partir do tabaco, abrindo caminho para sua utilização numa ampla gama de atividades médicas. Uma equipe liderada pelo professor Oded Shoseyov, da Faculdade Robert H. Smith de Agricultura, Alimentos e Meio Ambiente da UHJ, conseguiu criar uma réplica de colágeno humano na planta do tabaco por meio de engenharia genética. O colágeno é a proteína mais frequentemente encontrada no corpo humano e o principal componente dos tecidos da pele e das articulações. Em medicina, o colágeno é utilizado, entre outras coisas, para a cicatrização de feridas, implantações traumatológicas e até diminuição de rugas.

 

 

Instrumento eletrônico israelense permite diagnosticar doenças em 20 minutos
____________________________________________
________

Um novo instrumento eletrônico israelense, o "Medex-Test”, semelhante a um "lápis", permite diagnosticar doenças através de exames em 20 minutos. O "lápis" opera com um eletrodo em um dedo da mão e outro em um dedo do pé do paciente e, ao ser conectado ao monitor de um computador, informa ao médico, graficamente, sobre o funcionamento do sistema circulatório, respiratório, imunológico e sobre a espinha dorsal, entre outros.

O "lápis" que detecta doenças ou sintomas é de pequenas dimensões e sua aplicação não provoca dor. O equipamento, que custa entre US$ 7 mil e US$ 15 mil, foi inventado pelo médico Alex Kanevsky, e pode ser operado por um técnico ou uma enfermeira, mas a interpretação dos gráficos deve ser feita por um médico. O aparelho pode ser usado sem risco de radiações em crianças e mulheres grávidas.

A invenção, aprovada pelo Ministério da Saúde de Israel, integra princípios de neurologia, reflexologia e fisiologia patológica. O "Medex-Test" já está sendo usado em hospitais e clínicas particulares de Israel e o custo de um tratamento com o novo equipamento varia de US$ 70 a US$ 120. Além da vantagem de proporcionar um diagnóstico rápido, o equipamento permite ao paciente economizar a quantia que gastaria para fazer exames médicos convencionais.

 

 

 

Associação de proteínas leva à regressão de tumores
____________________________________________
________


Cientistas israelenses descobriram uma associação de proteínas que combate certos tipos de câncer infantil, trazendo esperança em uma nova gama de drogas contra tumores malignos. A equipe do professor Michael Fainzilber, do Weizmann Institute em Rehovot, fez a descoberta depois de estudar dois tipos comuns de câncer infantil - a meduloblastoma (tumor cerebral) e a neuroblastoma (câncer localizado na glândula suprarrenal). Este último é um dos poucos tumores malignos que podem regredir espontaneamente, devido a uma proteína chamada TrkA, cujo funcionamento não se conhecia totalmente. Os pesquisadores descobriram que a associação do TrkA com uma molécula chamada CC2 o transforma numa "célula assassina"que destroi células cancerosas. Os resultados deixaram claro que o TrkA e a CC2 sempre aparecem juntos em casos que apresentam as mais altas incidências de regressão de tumores.

 

 

 

Refrigerantes fazem mal ao fígado
____________________________________________
________


Um novo estudo realizado pelo médico israelense Nimer Assy, do Ziv Medical Center, de Haifa, mostrou que as pessoas que consomem mais de um litro (quatro copos) de refrigerante diariamente têm cinco vezes mais chances de contrair doenças hepáticas. Ele monitorou 90 pacientes saudáveis que posteriormente foram diagnosticados com gordura no fígado e descobriu que 80% deles ingeriam mais de meio litro (cerca de dois copos) de refrigerantes todos os dias. Segundo o dr. Assy, a substituição do refrigerante por água é a melhor maneira de prevenção contra o problema.

 

 

Móveis ecológicos de papelão
____________________________________________________


A empresa israelense Krooom, de Tel Aviv, desenvolveu móveis feitos de papelão corrugado que são duráveis, estáveis, resistentes à umidade e ecológicos - cerca de 60% do material é reciclável. A empresa fabrica estantes, prateleiras, arquivos, mesa para crianças, entre outros produtos, todos decorados com motivos gráficos coloridos. Entre os clientes norte-americanos está à conhecida livraria Barnes & Noble.   

 

 

Empresa israelense testa vacina contra os vírus da gripe
____________________________________________
________


A empresa israelense BiondVax Pharmaceuticals começa a testar nos próximos dias uma vacina contra diversos vírus da gripe, incluindo as gripes suína e aviária. De acordo com os dirigentes da BiondVax, que tem sede em Ness Tziona, caso seja comprovada sua eficiência, a vacina garantirá imunização por três a cinco anos.

 

 

Aparelho para detectar gripe suína
____________________________________________
________


A empresa israelense Opgal Optronics Industries desenvolveu um dispositivo que pode ajudar a deter a expansão da gripe suína (H1N1 ou influenza A) ainda nos aeroportos. O aparelho, denominado Fever Detection and Alarm System (FDA), consegue detectar, em tempo real, as pessoas que, numa multidão, estão com temperatura corporal elevada. Isso serve de alerta para que as autoridades sanitárias tomem as devidas providências. O protótipo do FDA foi lançado durante a epidemia de SARS (gripe asiática), em 2003.

 

 

Israelenses podem ter descoberto a cura da surdez
____________________________________________
________

Uma renomada pesquisadora israelense descobriu uma das causas da surdez, o que abre caminho para uma nova gama de tratamentos e até para a cura da doença, tanto a de origem genética quanto a provocada pela idade. A pesquisa foi conduzida pela geneticista Karen Avraham, da Universidade de Tel Aviv, pela dra. Lilach Friedman e por cientistas da Universidade Purdue. Os pesquisadores notaram que ratos ficavam surdos quando se bloqueava a fabricação de proteínas pelas moléculas microRNA. A experiência sugere que a falta das microRNA também leva pessoas normais à surdez progressiva. “Nós avançamos e descobrimos que a surdez é causada pela perda de microRNAs”, diz a dra. Avraham. “A cura dessa enfermidade chegará num futuro próximo”, prevê a pesquisadora.

 

 

Dispositivo permite que árvores "avisem" quando estão sem água
____________________________________________
________________


Pesquisadores israelenses do Instituto Volcani de Agricultura desenvolveram um dispositivo que, instalado no caule de uma árvore, permite medir os níveis de água da planta. Quando eles estiverem abaixo do necessário, esse dispositivo avisa o proprietário através de e-mail ou aciona um sistema de irrigação. O dispositivo mede a condutividade elétrica dentro da árvore ­ um parâmetro para avaliar o “stress” dela. Segundo os pesquisadores Eran Raveh e Arieh Nadler, muito produtores de cítricos, manga, bananas e vinicultores já manifestaram interesse na tecnologia. Trata-se de um mecanismo barato, simples e preciso, dizem Raveh e Nadler.

 

 

Terapia contra a Bubble Boy
Equipe internacional testa com sucesso terapia de médico israelense

____________________________________________


Um método de combate a uma doença genética grave e rara que ataca o sistema imunológico de crianças conhecida como Imunodeficiência Severa Combinada (SCID em inglês) patenteado pelo médico israelense Shimon Slavin foi testado com sucesso por uma equipe internacional de pesquisadores. O método de Slavin retira células da medula do paciente e as modifica para que produzam enzimas capazes de combater o mal. Através dsse método a equipe obteve a cura de oito entre dez crianças afetadas pela doença - também conhecida como Bubble Boy (menino-bolha) pelo fato de o paciente ficar isolado para não ser contaminado por bactérias. Até agora, os únicos tratamentos para a enfermidade eram o transplante de medula - nem sempre eficiente - injeções de enzimas - um tratamento extremamente caro.

 

 

Cooperação israelense/palestina contra a esquistossomose
____________________________________________


Cientistas da Universidade Hebraica de Jerusalém (UHJ) e da Universidade Palestina Al-Quds, trabalhando juntos, desenvolveram um novo método de diagnóstico precoce da esquistossomose, que já foi referendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O método deverá ser aplicado inicialmente na Nigéria, país que registra índices alarmantes de incidência da esquistossomose.

O projeto de cooperação tem à frente os professores Daniel Porat (UHJ) e Mukhlas Swani (Al Quds). Agora, as duas universidades planejam criar um laboratório conjunto de nanotecnologia, com apoio da União Européia.

 

 

Exame de DNA contra doenças bovinas
____________________________________________


Uma empresa israelense está utilizando testes de DNA para identificar bovinos roubados. “Essa tecnologia também poderá auxiliar na identificação e combate a diversas doenças animais graves, como o mal da vaca louca”, diz o Dr. Aviv Kahana, responsável pelo Departamento de Biologia Molecular da Bactochem, companhia high-tech que desenvolveu a tecnologia.

Agora, a Bactochem quer criar um banco de dados com amostras do DNA de cada animal nascido em Israel, para permitir um melhor acompanhamento e controle. “Israel provavelmente será o primeiro país do mundo a contar com um banco de dados de bovinos”, conclui o Dr. Kahana.

 

 

 

Homem já criava fogo 500 mil anos antes do que se acreditava
____________________________________________


Arqueologistas israelenses descobriram indícios de que o homem já dominava técnicas de criação de fogo 790 mil anos atrás - 500 mil anos antes do que se acreditava. A descoberta foi feita por pesquisadores do Departamento de Arqueologia da Universidade Hebraica de Jerusalém, após análises de artefatos encontrados no sítio arqueológico de Gesher Benot Ya'aqov, em Israel. O estudo foi publicado na última edição da revista Quaternary Science Reviews. Segundo a arqueóloga israelense Nira Alperson-Afil, até agora haviam indícios de que naquele período, o homem sabia apenas como preservar o fogo iniciado por fenômenos naturais, mas não como criá- lo. O estudo afirma que este domínio permitiu a migração do homem africano para localidades mais frias na Eurásia.

 

 

 

Biodiesel a partir de óleo de rícino
____________________________________________


O óleo de rícino, laxante que fez o terror das crianças de gerações passadas, agora desponta como excelente matéria-prima para a produção de biodiesel. Três empresas israelenses - Ormat, da área de energia, Evogene, de tecnologia agrícola, e Lev Leviev, do ramo imobiliário ­ uniram-se para produzir biodiesel a partir de óleo de rícino cultivado inicialmente em campos da Namíbia, na África Ocidental. A nova joint venture tem o nome provisório de Leviev-Evogene Namíbia. De acordo com Liat Cinamon, executivo da empresa, o óleo de rícino apresenta maior produtividade do que outras matérias-primas do biodiesel, como a soja e a canola; e a planta se comporta bem em solos pobres.

 

 

Tratamento de esgotos pode gerar eletricidade
____________________________________________


Uma bactéria muito útil para o tratamento de esgotos pode também gerar eletricidade enquanto acelera a decomposição de matéria orgânica. A empresa israelense MFC - Microbial Fuel Cell está desenvolvendo um processo de geração de energia a partir da bactéria Geobachter sulfurreducem, muito usada nos processos de tratamento de esgotos e efluentes. "Essa possibilidade já é conhecida há mais de 100 anos", diz o CEO da MFC, Eytan Levy. "Acontece que a energia produzida durante o processo de decomposição é pequena. Mas se combinarmos alguns processos, poderemos obter até 1 kilowatt/hora para cada quilo de dejetos tratado", conclui Levy, que vem trabalhando em conjunto com cientistas da Pennsylvania State University, dos EUA. O processo de geração de energia a partir do tratamento de esgotos deverá estar no mercado em 2010.

 

 

Onda Elétrica
____________________________________________

A empresa israelense SDE Energy assinou um acordo para fornecer ao governo da China centrais elétricas alimentadas pela energia das marés. A tecnologia permite produzir quatro vezes mais energia por metro quadrado que os geradores movidos pela força dos ventos. A implantação de uma central capaz de produzir 1MW de energia custa cerca de US$ 650 mil e a SDE deverá instalar sua primeira planta chinesa na cidade de Guangzhou. A empresa já opera um gerador de 40KW movido pelas ondas do mar no porto de Jaffa, perto de Tel Aviv.

 

 

Invenção israelense tira paraplégicos da cadeira de rodas
____________________________________________


Uma invenção da empresa israelense Argo Medical Technologies permite que paraplégicos não dependam mais de cadeiras de rodas para se locomover. O ReWalk é semelhante a um colete, produzido em material superleve e com um mecanismo elétrico movido a uma bateria recarregável. Basta ao usuário "vestir" o dispositivo para poder levantar-se, ficar de pé, andar e até subir escadas, apenas com o auxílio de muletas. "Mais do que melhorar a capacidade de locomoção do paraplégico, o ReWalk permite a ele voltar a ter a mesma estatura de seus interlocutores e conversar com eles olhos-nos-olhos. Parece pouco para as pessoas comuns, mas para quem depende de uma cadeira de rodas é um enorme ganho de dignidade", explica o inventor do ReWalk, o israelense Amit Goffer, ele mesmo um quadriplégico. O protótipo do ReWalk já foi testado e aprovado e comercialização deve iniciar-se em 2009.

 

 

Conservante natural para cosméticos contra
o câncer e problemas de pele

____________________________________________

Um novo conservante natural, extraído da casca de frutas cítricas, combate câncer, irritações e outros problemas de pele causado pelo uso de cosméticos. O produto, denominado CPE, foi desenvolvido pela empresa israelense Citramed a partir da potencialização das qualidades antibacterianas da casca dos cítricos e deverá chegar ao mercado ainda no final do ano. O anúncio coincide com pesquisas feitas pelo FDA (o organismo oficial norte-americano que regula a produção de alimentos, cosméticos e medicamentos), sobre a relação entre o uso do parabens (alkyl-ésteres de ácido p-hidroxibenzóico), um conservante contido em muitos cosméticos, e a incidência de câncer de mama e de irritações na pele.

"A casca dos cítricos tem fortes propriedades antibacterianas", comenta o CEO da Citramed, Lior Rosental. "Nós apenas ampliamos esse potencial", conclui. Segundo Rosental, o CPE poderá, no futuro, ser utilizado também na conservação de alimentos.

 

 

Sistema solar gêmeo
____________________________________________

Uma equipe internacional de astrônomos, que inclui cientistas de Israel, EUA, Espanha, Austrália, Nova Zelândia e Chile, anunciou a descoberta de um novo sistema solar, muito semelhante ao nosso. Segundo o astrônomo Dan Maoz, da Universidade de Tel Aviv, que participa da equipe, o sistema solar está a 5.000 anos/luz da Terra e tem dois planetas muito semelhantes a Saturno e Júpiter.

Este é 11º sistema solar identificado na última década e a descoberta foi publicada na revista Science.

 

 

EXPOSIÇÃO NOTURNA À LUZ PODE AUMENTAR RISCO DE CÂNCER DE MAMA
____________________________________________

Mulheres que vivem em áreas bem iluminadas à noite estão expostas a maior risco de desenvolver câncer de mama. A conclusão é de um estudo elaborado pela equipe do biólogo Avraham Haim, da Universidade de Haifa, Israel, e publicado no último número da revista Chronobiology International.

A equipe analisou imagens de satélites da NASA norte-americana, sobre a iluminação noturna em Israel, e estudou os casos de cem mulheres com câncer de mama e de outras cem que não têm a doença. A conclusão é que a incidência de câncer de mama é 37% maior nas áreas com maior iluminação noturna, em relação às regiões menos iluminadas. De acordo com os pesquisadores, tudo indica que a luz noturna interfere na produção de um hormônio importante, a melatonina, aumentando o risco de desenvolvimento de câncer de mama.

A equipe da Universidade de Haifa agora está analisando a eventual relação entre maior exposição de homens à iluminação noturna e o desenvolvimento de câncer de próstata.

 

 

 

 

Cientista druso-israelense desenvolve um revolucionário inseticida natural
____________________________________________

Um cientista druso-israelense desenvolveu um inseticida natural à base da curcuma – uma planta da família do gengibre, nativa da Ásia - que vem apresentando excelentes resultados nos testes preliminares. Segundo o Prof. Fadel Mansour, do Centro de Pesquisas Volcani, do Ministério da Agricultura de Israel, pequenas folhas de plástico embebidas em uma solução de curcuma, espalhadas pelo solo pouco antes da semeadura, vêm impedindo a aproximação de todo tipo de insetos. Em especial, da mosca branca, terrível para as plantações de melões e melancias. Mansour já patenteou o método e começará a aplicá-lo comercialmente em breve, em uma plantação de abacaxis no México.

 

 

 

Nova esperança de filhos para vítimas de câncer
____________________________________________


Pela primeira vez, óvulos de pré-adolescentes com câncer são congelados, dando às pacientes a possibilidade de ter filhos, mais tarde. A técnica, desenvolvida pela equipe do Dr. Ariel Revel, chefe do Departamento de Fertilização In Vitro do Hospital Universitário Hadassah, de Jerusalém (Israel), permite amadurecer os óvulos in vitro. "Primeiro, isolamos os óvulos do tecido; em um ou dois dias, eles estão maduros o suficiente para que os congelemos”, explica o cientista. Até agora, acreditava-se que só seria possível obter óvulos fecundáveis de garotas que já tivessem passado pela puberdade.

Entre crianças e pré-adolescentes, o câncer, em qualquer órgão, tem perspectiva de cura em 70% a 90% dos casos. “No entanto, a quimioterapia é agressiva e pode deixar as crianças estéreis”, explica Ariel Revel.
Em 2004, a equipe do Hospital Universitário obteve sucesso na fecundação de uma mulher cujos embriões haviam sido congelados há 12 anos. Até então, os óvulos humanos mais antigos para fertilização in vitro tinham sete anos. Com o sucesso, Ariel Revel foi chamado a colaborar com a pesquisa sobre óvulos de meninas na pré-puberdade.
 
Os resultados do novo trabalho foram apresentados no recente congresso anual da Sociedade Européia de Embriologia e Reprodução Humana. A equipe do Hospital Hadassah realizou a intervenção em 18 pacientes, com idades entre cinco e 20 anos de idade, a partir de 2003. De 167 óvulos, 41 foram amadurecidos com sucesso, incluindo os casos de algumas doadoras na pré-puberdade.
 
Por enquanto, nenhum dos óvulos foi descongelado e não há como saber se resultarão em casos de gravidez com  sucesso. "Temos alguns óvulos prontos para serem fertilizados. Isso nos permite sermos otimistas. Mas só o tempo dirá o quanto esse processo é eficiente e útil para a fertilização. Seja como for, abre-se uma nova porta rumo à maternidade, para muitas mulheres que estavam condenadas a não serem mães”, conclui o Dr. Ariel Revel.

 

 

 

Mais perfume para as flores
____________________________________________


Flores que quase não têm perfume, como as petúnias, agora podem ganhar aromas próprios. Esse é o resultado das pesquisas em engenharia genética, desenvolvidas pela equipe do prof. Alexander Vainstein, do Instituto de Genética em Agricultura da Universidade Hebraica, que funciona na cidade israelense de Rehovot. A equipe desenvolveu, também, técnicas para agregar aromas de flores a diversos alimentos, assim como para criar flores em novas variações de cores.

“Aqui em nossas estufas, você pode ver tipos de flores que não existem em qualquer outra parte do mundo”, afirma o prof. Vainstein. “As pessoas ficam espantadas com o que estamos fazendo. Conseguimos, por exemplo, criar petúnias – que normalmente não têm perfume – com um aroma muito marcante”, diz.

A equipe implantou genes de rosas em flores como petúnias e cravos. “Isso não quer dizer que as petúnias vão exalar aroma de rosas. Ao contrário, as flores desenvolvem fragrâncias próprias”, comenta o cientista. A engenharia genética permitiu, ainda, que os pesquisadores cultivassem flores como a gypsophila, que é naturalmente branca, em colorações típicas de cravos, como o creme.

A engenharia genética também poderá permitir ganhos econômicos importantes na produção de flores. “Veja-se o caso da Bulgária, que exporta um grande volume de óleo de rosas. Isso exige enormes áreas cultivadas”, explica Alexander Vainstein. “Mas as novas tecnologias podem assegurar uma produção semelhante em laboratório”, conclui o cientista.

Israel é um dos maiores produtores mundiais de flores, ao lado da Holanda, Colômbia e Quênia. Apenas três centros de pesquisa em todo o mundo utilizam a engenharia genética no cultivo de flores. Mas a Universidade Hebraica de Jerusalém é a única que emprega essa tecnologia na produção tanto de novos perfumes como de novas colorações.

____________________________________________

 

 

Alimentos “Diet” com mais Nutrientes
____________________________________________


Um dos maiores problemas dos alimentos “diet” é que a eliminação das gorduras, com freqüência, conduz à perda de nutrientes importantes para o corpo humano. Mas isso pode mudar graças a uma descoberta do cientista Yoav Livney, doutor em Engenharia de Alimentos pelo Instituto Technion, de Haifa (Israel).

A palavra-chave para a descoberta de Livney é micela, um nanopartícula da caseína, a principal proteína presente no leite e em seus derivados. As micelas são responsáveis, por exemplo, pela transferência de nutrientes essenciais ao corpo, como cálcio e proteínas, da mãe para o feto, durante a gestação.

Yoav Livney e sua equipe, composta pela Dra. Dganit Danino e pela estudante Efrat Semo, descobriram que as micelas podem ser empregadas em alimentos com baixos teores de calorias, para transmitir nutrientes fundamentais, deixando de lado a gordura. “Minha hipótese central era que, se as micelas da caseína funcionam naturalmente como nanocápsulas, talvez elas pudessem transportar outros elementos nutrientes”, diz o Dr. Livney. No teste definitivo, a equipe de pesquisadores encapsulou moléculas de vitamina D em micelas de caseína, acrescentando-as a alimentos “diet”. O resultado foi excelente e apareceu, recentemente, na prestigiosa revista científica “Food Hydrocolloids”.

Segundo Livney, “se substituirmos apenas 0,6% da caseína do leite pelas micelas enriquecidas, poderemos garantir um terço do volume diário recomendado de vitamina D com apenas um copo de leite sem gorduras”. “Nossa expectativa é de enriquecer o leite desnatado e outros produtos diet com vitamina D e vários nutrientes essenciais à boa saúde, como as vitaminas A e E, minerais e antioxidantes, que estão ausentes da dieta de milhões de pessoas”, afirma o cientista. “Isso poderá melhorar a qualidade das dietas sem modificar de forma significativa os nossos hábitos alimentares”, conclui Yoav Livney.

____________________________________________

 

 

 

Tratamento de doenças crônicas
____________________________________________


Surge uma nova esperança para pacientes com feridas crônicas – como as causadas pela diabetes. Uma equipe de pesquisadores da Universidade Bar-Ilan, de Israel, e da empresa HealOr, dirigida pela dermatologista Tamar Tennenbaum, desenvolveu um novo método capaz de induzir a pele a acelerar a cicatrização das feridas.

Mais de 8,5 milhões de pessoas sofrem com feridas crônicas apenas na Europa e nos Estados Unidos. “Um dos fatores é que a população nesses locais está envelhecendo e há cada vez mais diabéticos”, diz a Dra. Tamar Tennenbaum. “As úlceras ligadas à diabetes e as úlceras venosas afetam uma larga porcentagem da população de mais idade, assim como os obesos. E há, também, úlceras que atingem pacientes idosos que estão paralisados e, portanto, ficam muito tempo na mesma posição”, afirma a dermatologista.

O novo tratamento, denominado HO/03/03, emprega uma família de enzimas conhecida como proteínas Kinase C (PKC), que “orienta” as células da pele a realizarem certas tarefas, acelerando a cicatrização de feridas. O método HO/03/03 já foi empregado, com sucesso, em 13 pacientes. “Nossa experiência demonstrou que o tratamento obteve a cicatrização de 80% das feridas em um período de três semanas a três meses, em pacientes que não haviam reagido a outras terapias”, sintetiza Tamar Tennenbaum.

O HO/03/03 vem sendo testado em três hospitais israelenses e a expectativa da equipe de pesquisadores é de receber aprovação da FDA (Food & Drug Administration, agência norte-americana que regula, entre outros, o setor de medicamentos) para que as experiências sejam iniciadas nos EUA ainda este ano.

____________________________________________

 


A solução para os diabéticos em uma xícara de chá
____________________________________________


Não há nada como uma xícara de chá quente em um dia frio. Agora, uma empresa israelense planeja apresentar um chá de ervas ao mundo que não é apenas uma novidade agradável, mas que segundo a empresa pode reduzir substancialmente os níveis de açúcar no sangue dos diabéticos.

O chá Glucodan, que foi desenvolvido pela Nufar Natural Products, é uma mistura natural de ervas medicinais que reduz e equilibra os níveis de açúcar no sangue. O chá reduz o açúcar e quebra carboidratos e gorduras, que se elevam a níveis perigosos nos diabéticos após as refeições.

A pequena empresa de 15 funcionários mostra que o chá, que inclui as ervas, stevia, gymnema sylvestris (gurmar), salvia fruticosa, eucalipto e capim-limão, reabilita e ativa o pâncreas fazendo com que ele secrete insulina — um hormônio que ajuda as células a absorverem glicose da corrente sanguínea e a utilizarem para produzir energia, reduzindo assim os níveis de açúcar no sangue. Além disso, segundo Israel Solodoch — fundador e diretor-geral da Nufar —, o chá ajuda os diabéticos a absorverem a insulina no corpo.

“Ingerir o chá Glucodan faz a resistência do corpo à insulina diminuir. As células são influenciadas novamente pela insulina, absorvem o açúcar, separam-no e, como resultado, estabilizam os níveis de açúcar no sangue”, ele explica.

A Nufar, que começou a vender o chá Glucodan em Israel há três anos, executou testes clínicos bem-sucedidos antes de comercializa-lo. Pacientes que fizeram uso do chá, ingerindo-o de dois a três xícaras por dia, alegaram que suas taxas de açúcar no sangue reduziram drasticamente.

A empresa já desenvolveu oito chás de ervas diferentes para tratar uma série de problemas médicos, como, por exemplo, colesterol alto, hipertensão, doenças cardíacas, asma, infecção urinária e obesidade. Todas as bebidas herbáticas contêm ingredientes naturais, muitos dos quais crescem na região montanhosa da Galiléia.

Os produtos não contêm extratos industrializados, conservantes e nem corantes.

Um dos detalhes que tornam essas bebidas médicas únicas, de acordo com Solodoch, é que elas contêm oxicoco e stevia — uma planta que é 300 vezes mais doce que o açúcar, mas que não é absorvida pelo corpo. Isso deixa as bebidas naturalmente adocicadas e saborosas, sem a necessidade de qualquer açúcar ou adoçante artificial. “Elas não são cápsulas, aditivos alimentares ou líquidos que você se força a ingerir com um pouco de açúcar ou adoçante artificial para torná-los um pouco mais agradáveis ao paladar”, afirma Solodoch.

“As pessoas degustam o sabor agradável do chá e ao mesmo tempo tratam suas enfermidades, sejam elas quais forem.”

A Nufar registrou a patente para o Glucodan em Israel, USA e Europa. Ela agora negocia com distribuidores em todo o mundo.

____________________________________________


 

Um país que se preocupa com o alto padrão em serviços de saúde
____________________________________________


“Todo Israel é responsável um pelo outro”, diz o Talmud, coletânea de regras que guiam a vida dos judeus. O alto padrão dos serviços de saúde de Israel, a qualidade dos recursos médicos e das pesquisas no campo da medicina, as modernas instalações hospitalares e uma admirável proporção de médicos e especialistas em relação à população refletem-se na pequena taxa de mortalidade infantil (6,8 de cada 1.000 nascimentos vivos) e na alta expectativa de vida (79,4 anos para mulheres e 75,5 anos para homens). O tratamento médico para todos, da infância à velhice, é garantido por lei e os gastos nacionais com a saúde (8,4% do PNB) são comparáveis aos dos países mais desenvolvidos do mundo.

Esta situação é decorrente de uma longa tradição. No século 19, várias moléstias, como a disenteria, a malária, o tifo e o tracoma eram endêmicas na Terra de Israel, então uma província atrasada e negligenciada do Império Otomano. A fim de proporcionar assistência médica à população judaica da Cidade Velha de Jerusalém, as comunidades judaicas européias criaram algumas clínicas, que ofereciam serviços médicos gratuitos aos pobres que não podiam pagar.

Muitas destas clínicas se transformaram mais tarde em hospitais e funcionam até hoje, fornecendo ótimo serviço médico com uso intensivo de alta tecnologia. Algumas, como Bikur Cholim (fundada em 1843), Misgav Ladach (1888) e Shaarei Tsedek (1902) - ficaram famosas pela assistência dedicada que prestavam, mesmo sob condições difíceis. O Centro Médico Hadassa, em Jerusalém, com suas escolas de medicina, enfermagem e farmacologia, e seus dois modernos hospitais, traça sua história a partir de 1913, com a chegada de duas enfermeiras a Jerusalém, enviadas pela Organização Sionista Feminina Hadassa, dos Estados Unidos.

____________________________________________

 

 

 

Água-viva que pode ser aplicada sob a pele substitui a dor e o desconforto das injeções
____________________________________________

Imagine uma fazenda no oceano, onde caubóis criam seres marinhos em vez de gado.
Embora ainda não se ouça falar de sobre uma debandada de águas-vivas, uma equipe de cientistas israelenses baseou-se em um mecanismo natural existente em animais marinhos há mais de 700 milhões de anos e o transformaram em um avanço médico que pode eliminar a dor das injeções.

Pesquisadores da recém-inaugurada NanoCyte descobriram uma forma de pegar os minúsculos ferrões urticantes encontrados nas criaturas marinhas e preenchê-los com importantes medicamentos que podem ser aplicados sob a pele do paciente sem causar dor. A pessoa simplesmente esfrega na pele um creme contendo esses ferrões urticantes, nos quais foi inserido o medicamento, como a insulina, ativando os ferrões que injetam o medicamento.

Num futuro próximo, isso pode significar o fim das injeções diárias para os diabéticos, o fim das anestesias nos consultórios dentários e o fim das anestesias antes das cirurgias.

Qualquer um que já tenha sido queimado por uma água-viva sabe quão rápido a dor pode se alastrar. Com base nesse mecanismo, a NanoCyte pesquisou versões atóxicas de animais semelhantes, como a anêmona-do-mar, e descobriu um método de fazer com que esse ferrão urticante fosse usado de maneira benéfica. As anêmonas-do-mar podem se parecer com flores, mas são animais invertebrados que se alimentam de outras espécies marinhas. Elas vivem no mar, em geral fixadas a recifes ou pedras, mas podem se locomover lentamente.

De maneira semelhante à qual os fazendeiros ordenham a vaca, a NanoCyte seleciona nano-injetores das anêmonas-do-mar em uma fazenda marinha na região norte de Israel, próximo do Mar da Galiléia. Lá, os cientistas da empresa mantêm grandes tanques, cada um com aproximadamente dez mil anêmonas-do-mar, e uma vez extraídos, os ferrões urticantes passam por um processo de separação e terminam como um pó. Os injetores das anêmonas restantes são uma substância orgânica que é preenchida com medicamentos por meio de pressão osmótica.

A empresa afirma que, até 2008, quando seus estudos clínicos estiverem completos, será possível distribuir uma ampla variedade de pequenas e grandes moléculas do medicamento – moléculas orgânicas, peptídeos e proteínas – através da barreira do sangue. Pela primeira vez, a NanoCyte espera ser capaz de fornecer um alívio tópico imediato aos pacientes submetidos à quimioterapia, àqueles que necessitam de antibióticos para infecções graves, e àqueles que tomam medicamentos de anti-rejeição após cirurgias para transplantes de órgãos.

Proteínas e peptídeos, explica a empresa, estão rapidamente se tornando os medicamentos mais desejados do mundo, à medida que os avanços recentes na tecnologia farmacêutica têm se disseminado na medicina mundial. As aplicações, porém, são limitadas, porque as moléculas dos componentes ativos são química e fisicamente instáveis. Até agora, a injeção é a forma mais confiável de aplicação de proteínas e peptídeos. Esse é um método que garante que o medicamento será absorvido rapidamente e de forma adequada, mas que causa dor e é inconveniente para a maioria das pessoas.

“Os produtos farmacêuticos do futuro serão à base de peptídeos e proteínas”, disse o gerente-geral da NanoCyte Gilad Lorberbaun.
Enquanto as anêmonas-do-mar se divertem em seus tanques, os avanços da NanoCyte serão boas notícias para pacientes que no futuro terão de se submeter a cirurgias. Somente nos EUA, 400 milhões de cirurgias por ano necessitam de anestesia local. A capacidade de aplicar medicamentos através da pele tem enormes conseqüências no mercado pediátrico, em que o uso de agulhas pode ser complicado.

Uma vez aplicada na pele – no braço e, para a anestesia local nas áreas em questão –, os nano-injetores da NanoCyte invisíveis a olho nu podem fazer um milhão de pontos de penetração por cada centímetro quadrado em contato com a pele. Essa característica co-desenvolvida pela vida marinha, pela mãe natureza e pela NanoCyte aplica uma dose do medicamento no sangue de forma rápida e eficaz.

Nos últimos meses, o foco dos negócios da NanoCyte mudou um pouco para o mercado de cosméticos, que será prioridade para a empresa em paralelo ao mercado farmacêutico. Cosméticos são compostos que estão no limiar tanto da indústria de cosméticos quanto da farmacêutica, e abrangem principalmente a produtos que contêm ingredientes biologicamente ativos, como aqueles encontrados em certos cremes anti-rugas, tratamentos contra a calvície e protetores solares.

Como os produtos da NanoCyte são baseados em mecanismos selecionados da natureza, espera-se que os métodos de aplicação de medicamentos da empresa atraiam aqueles que pregam a conservação do meio ambiente, e que defendem que a preservação da diversidade das espécies é importante para solucionar as doenças humanas.

Criar e fazer uso da vida marinha para benefício humano é uma antiga história para os fundadores da NanoCyte, os cientistas Tamar e Amit Lotan, que antes fundaram a Nidaria Technologies, uma empresa israelense que desenvolveu o primeiro e único repelente de água-viva.

Vendida com o nome de loção Safe Sea, centros de mergulhos e dermatologistas nos EUA alegam que esse é único gel protetor existente no mundo contra o veneno e a dor provocados por águas-vivas, medusas e piolhos-do-mar. Algumas queimaduras de água-viva podem ser fatais para crianças, e em adultos o medo de água-viva, real ou imaginário, impede muitas pessoas de aproveitar o mar. A loção Safe Sea custa em média dez dólares o frasco. Seus benefícios foram relatados por veículos de comunicação de todo o mundo, como a BBC.

A NanoCyte tomou como base a idéia de que o mecanismo de queimadura da água-viva, encontrado em outras espécies atóxicas como corais, hidras e anêmonas-do-mar, pode ser usado de modo reverso, com o intuito de pôr em prática terapêuticas de maneira segura. Em nome daqueles que têm medo da picada da agulha, vamos esperar que eles estejam certos.

____________________________________________

 


Tratamento Israelense usa clorofila e luz para combater o câncer de próstata
____________________________________________

No mundo inteiro, o câncer de próstata ocupa o quinto lugar entre as neoplasias malignas. No Brasil, segundo o INCA, o câncer de próstata aparece em terceiro lugar com 20.820 casos e 7.320 óbitos por ano, ocorrendo principalmente em homens a partir dos 50 anos. Cientistas do Weizmann Institute of Science, de Israel, desenvolveram uma nova droga para o tratamento contra o câncer de próstata, que atinge um em cada seis homens no mundo e é mais comum que o câncer de pele, no sexo masculino.

Trata-se da droga WT09, que já está sendo utilizada com sucesso na terapia fotodinâmica - tratamento que utiliza uma droga ou um agente fotosintetizante junto com luz, para produzir um tipo de oxigênio que mata as células cancerígenas. Feita do pigmento de clorofila, a droga está curando pacientes que não conseguiram combater a doença através de radiação. Além de Israel, Canadá e França também estão utilizando a nova terapia.
"Os resultados são animadores" diz o urologista Mostafa Elhilali, que está utilizando a WT09 para tratar pacientes no Hospital Universitário McGill, em Montreal, no Canadá. "Provamos que esse tratamento causa a destruição de parte da próstata que contém o câncer.


Através de exames de sangue, notamos que após o tratamento não há mais células cancerosas", afirma o médico, que também é o secretário Geral da Sociedade Internacional de Urologia (SIU). A terapia fotodinâmica é feita nos pacientes através da injeção de drogas sensíveis à luz. Essas drogas são inofensivas, até que expostas ao laser, quando tornam-se tóxicas. Os médicos podem direcionar a luz no local exato do tumor, usando fibra ótica. Essa combinação da droga com luz nas células cancerígenas as destroi totalmente e além disso, deixa o tecido saudável intacto.

Mas a terapia fotodinâmica só se mostra inteiramente eficaz agora, com o uso da droga WT09. Segundo os médicos, a maioria das terapias de fotodinâmica funciona apenas em casos de tumores pequenos e em alguns tipos de pele. Outra problema enfrentado é que, como as drogas ficam no organismo bastante tempo, o paciente deve evitar luz solar por um longo período após o tratamento. Entretanto, a nova droga não apresenta nenhum desses obstáculos, pois é desenvolvida através da clorofila, o pigmento verde que as plantas produzem na fotossíntese. Este tem a vantagem de absorver raios infra vermelhos, que são mais eficazes e têm maior penetração no corpo humano. O resultado: a destruição dos vasos sangüíneos ligados ao tumor, bem como sua necrose. Uma fibra óptica iluminada pode alcançar e erradicar um tumor com diâmetro de até quatro centímetros. Tumores maiores são tratados com várias fibras ópticas.

Estudos em animais provaram que outros derivados da clorofila, criados no Weizmann Institute e desenvolvidos pelo Steba Labs (também em Israel) em parceria com a Steba Biotech (França), são capazes de combater vários tipos de câncer como os de mama, fígado, rim, cólon, melanoma e glioma (tumor inicial no tecido dos nervos). Os estudiosos já estão testando novas drogas de clorofila para esses tipos de câncer.

A estimativa é que em aproximadamente sete anos um arsenal de drogas seja utilizado na terapia fotodinâmica, fazendo com que os pacientes não precisem ser submetidos à radiação ou cirurgia. Nos pré-testes clínicos, foi observado, inclusive, que é possível atingir e erradicar a metástase do câncer de próstata nos ossos, através deste método.

Fonte: Israel21c.org

____________________________________________

 

 

A Pesquisa Médica
____________________________________________

A infra-estrutura bem desenvolvida de pesquisa médica e para-médica, assim como as instalações de bio-engenharia, concorrem para a amplitude e variedade da pesquisa médica em Israel. A pesquisa é realizada pelas escolas de medicina e por grande número de instituições e laboratórios governamentais, assim como pelos departamentos de P&D das empresas industriais farmacêuticas, de bio-engenharia, de processamento de alimentos e de equipamentos médicos. O alto nível das instalações de pesquisa do país é reconhecido mundialmente, e são mantidos contatos regulares e recíprocos com os principais centros médicos e de pesquisa científica do exterior. Israel é freqüentemente o anfitrião de conferências internacionais em uma grande variedade de temas médicos.

Tecnologia Médica
A tecnologia sofisticada tornou-se parte integrante e inseparável do diagnóstico e tratamento médico em Israel. A estreita colaboração entre as instituições de pesquisa médica e a indústria permitiu um progresso significativo no desenvolvimento de equipamentos médicos especiais. Por exemplo, os scanners tipo CAT e vários aparelhos avançados, essenciais ao diagnóstico acurado ou ao tratamento efetivo em situações críticas, que funcionam por micro-computação, são exportados a todo o mundo. Israel foi pioneiro no desenvolvimento e uso de instrumentos cirúrgicos à base de raio laser, assim como de vários equipamentos médico-eletrônicos, entre os quais sistemas de monitoração computadorizada e outros aparelhos que salvam vidas e aliviam a dor.

 


Atualização MarketDesign